Saiba o que aconteceu de melhor no primeiro dia do VarejoTech 2020

Saiba o que aconteceu de melhor no primeiro dia do VarejoTech 2020

No início da semana, 03/08, começou o VarejoTech Conference, promovido e desenvolvido pela StartSe, com o objetivo de mostrar as maiores tendências e tecnologias dentro do mundo varejista, com dicas de como analisar o comportamento do novo consumidor.

É o principal evento sobre inovação no setor varejista desde 2017 e, este ano, por causa da pandemia da COVID-19, a conferência está acontecendo de forma totalmente gratuita e 100% online, possibilitando que o público aprenda, sem sair de casa, sobre o comportamento do consumidor, entenda sobre novas tendências, ferramentas atuais para as startups, dinâmica de mercado e muitos outros assuntos sobre o novo varejo e o novo consumidor.

Cronograma e resumo das conferências

Segunda-feira (03/08)

  • A transformação do varejo de anos feita em semanas – Cristiano Kruel (StartSe)

Cristiano Kruel acredita que o mundo mudou muito devido à pandemia e, com isso, os algoritmos de inteligências artificiais se atrapalharam, forçando a evolução das empresas em aspectos de machine learning, marketplace, utilitarismo e mídias sintéticas. Para ele, o comportamento humano é o maior bloqueador de inovação, pois não lidamos muito bem com a mudança, mas com a pandemia, as pessoas foram “forçadas” a se adaptarem ao novo mundo.

  • 10 temas que irão moldar o comportamento dos consumidores – Kyle Fiore (R/GA)

Kyle Fiore, Diretor Estratégico da R/GA, agência de publicidade e tecnologia, aponta que, em situações atípicas como as oriundas da pandemia, a sociedade cria uma expectativa de que os comportamentos mudem e depois continuem sendo alterados após o vírus. Ele concorda que tais mudanças dos consumidores no pós-Covid possuirão, sim, efeito em longo prazo, mas ressalta que algumas coisas permanecem, muitas vezes, por questões culturais. Para kyle, cinco  são os comportamentos principais das pessoas nesse “novo normal”: as pessoas estão mais cautelosas com o dinheiro, valorizando mais o essencial, pensando mais no coletivo, se adaptando para o digital e querendo viver experiências que ainda não tiveram. Do ponto de vista dos negócios, não interagir com o digital é deixar de sobreviver.

  • Só sobrou o onlie. E agora? – Bruno Oliveira (Ecommerce na Prática) e Pedro Souza (Arezzo) – Mediador: Cristiano Kruel (StartSe)

A palestra abordou a falta de preparo que alguns empreendedores demonstraram diante de uma nova realidade, tendo dificuldade em se adaptar ao novo mercado e a um novo consumidor. Os palestrantes alertaram para o “dinamismo digital”, que facilita a transição das marcas para o mercado online (já que o físico está impossibilitado), com o uso de ferramentas que aproxime o consumidor de uma experiência mais fidedigna possível.

  • Case Pernambucanas by Go.K – Cristiano Kanashiro (Go-K)

Cristiano Kanashiro apresentou o estudo de caso feito sobre as lojas Pernambucanas e exibiu alguns conceitos adotados na mesma, como o bimodal (físico e online) e a ferramenta de comunicação Workplace, que conecta desde os CEOs, até os vendedores varejistas. Além de apresentar vários dados interessantes, o palestrante explicitou que é necessário aliar tecnologia, visão de futuro e capacitação profissional para um empreendimento de sucesso.

  • Empatia e tecnologia para criar experiências únicas – Fernanda Romano (Alpargatas)

A Alpargatas S.A possui 113 anos de mercado com mais de 18.000 colaboradores e, em seu novo capítulo, pretende apostar na transformação digital e na valorização da cultura digital. Fernanda Romano disse que a partir de uma nova liderança, bem estruturada, adotando ferramentas de comunicação com feedback loops mais curtos e estabelecimento de uma prática de dividir conhecimento, foi possível a criação de times mais cross-funcionais, com autonomia de trabalho, organizados, desenvolvidos e produtivos.

  • Amaro: desafios atuais que estão moldando o futuro do varejo – Daniela Valadão (Amaro)

A Amaro é uma empresa que foca na equidade de raça, gênero, tamanho, empoderamento feminino e redução no impacto ambiental. Essa foi uma das falas de Daniela Valadão que, para além dos temas sociais, abordou questões sobre foco e conexão com o cliente, WhatsApp Business, geração de fluxos através da comunicação e até os desafios do varejo no século XXI, como o gerenciamento de caixa, por exemplo.

  • Transformação no padrão de consumo durante a pandemia e perspectivas pós COVID-19 – Stelleo Tolda (Mercado Livre)

Stelleo Tolda deixou bem claro em sua apresentação que a transformação digital é um caminho sem volta, muito por causa da intensificação do consumo online, que aumentou a adesão dos pagamentos em meios eletrônicos e mudou por completo o comportamento do consumidor, que passou a viver o “novo normal”. Por fim, reiterou que  a rotina pós-pandemia não será a mesma, proporcionando novas interações sociais no escritório, com novas medidas de segurança e implantação de um regime mais flexível de trabalho.

Corre que ainda dá tempo!

O evento foi criado com formato único, dinâmico e bastante acessível, visando levar uma experiência inédita para os espectadores. Para quem ainda não está participando, é possível se inscrever pelo site da StartSe (CLICANDO AQUI) e ficar por dentro do que tem de mais inovador no varejo.