Ferramentas de Gestão do Sistema CFA/CRAs foram tema de Webinar

Ferramentas de Gestão do Sistema CFA/CRAs foram tema de Webinar

Na noite do dia 23/06 (terça-feira), o Conselho Regional de Administração de Minas Gerais transmitiu ao vivo, em seu canal no YouTube (clique aqui para assistir), o Webinar: IGM, GESAE e Agenda de Gestão Municipal – Ferramentas de Gestão do Sistema CFA/CRAs, mediado pelo presidente do CRA-MG, Adm. Jehu Pinto de Aguilar Filho, e com participação dos Administradores Fábio Mêndes Macedo (Diretor da Câmara de Gestão Pública do CFA) e José Campos Chaves (Idealizador do GESAE).

IGM

O IGM-CFA consiste em uma métrica da governança pública nos municípios brasileiros a partir de três dimensões: Finanças, Gestão e Desempenho.

Foi elaborado a partir de dados secundários, e considera áreas como saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência, violência, dentre outras.

O Adm. Fábio Mêndes acredita que a ferramenta (IGM) é muito importante para o planejamento da Gestão Pública, questão que ele considera ser um problema no país. “Nossos municípios não se planejam, não sabem aonde querem chegar. Precisamos começar a usar ferramentas como esta para sairmos do pensamento empírico”.

 Fábio ainda ressaltou que, em 2019, foi criado um Workshop de Gestão Pública que mobilizou 11 estados com mais de 460 profissionais da Administração Pública aptos a usarem a ferramenta, sensibilizando mais de 1.800 gestores públicos, englobando prefeitos, governadores, senadores e vereadores. “Minas Gerais, em especial, quase me fez chorar no Workshop, tendo quase 98% de aprovação no evento”. 

Clique aqui e saiba mais sobre o IGM.

GESAE

O GESAE (Sistema CFA de Governança, Planejamento e Gestão Estratégica de Serviços Municipais de Águas e Esgotos) permite avaliar a gestão do saneamento municipal sob diversos aspectos. Ele possui dez áreas-chave e setenta indicadores. Cada área-chave possui sete módulos. Por meio das indicações, é possível avaliar a gestão de forma detalhada. Entre as medidas do Sistema, podemos citar: consumo médio per capita de água; consumo médio de água por economia; índice de atendimento urbano de água; índice de atendimento total de água; índice de coleta de esgoto; e índice de tratamento de esgoto.

O Adm. José Chaves alertou que atualmente o Brasil passa por paradigmas na gestão de políticas de saneamento, tendo 2,9% dos provedores desses serviços no âmbito privado, 68,9% de cunho estadual (como a COPASA, por exemplo) e 28,2% em termos municipais. Números que se tornam frios quando colocados sob a realidade do Brasil, onde 98 milhões de brasileiros não possuem coleta de esgotos e 34 milhões não têm serviço de água.

Segundo a ABDIB (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base), nos próximos 15 anos, serão necessários R$ 500 bilhões em investimentos (R$ 33 bilhões por ano) para universalizar os serviços de tratamento de esgoto, sinalizando uma má gestão de vários municípios neste quesito. O GESAE é uma ferramenta que permite planejar e organizar futuros investimentos na área do saneamento e, para o Adm. Jehu Pinto, esse mecanismo é um bem para a população. “Já vi comentários de pessoas que conhecem e já estão usando o GESAE sobre o quanto puderam economizar e como a educação que é passada para a população é importante”. Disse o presidente do CRA-MG.

O CFA disponibiliza o acesso ao CFA-Gesae a qualquer cidadão. Basta seguir o passo a passo:

  1. Acesse www.gesae.org.br
  2. login: publico / senha: publico